terça-feira, 26 de outubro de 2010

Interrogaçoes...

Encontro-me com a cabeça lotada de interrogações...


Mais uma vez...
Será que ainda existe algo que me faça ter alguma certeza?

Mais uma vez...

sábado, 23 de outubro de 2010

Mais uma vez...

E se o Sol não se levantar amanhã?
E se o Sol nunca mais se levantar?
  




Duvidas existenciais...

Mais uma vez... 

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Silencio...

Por vezes, no desespero de não saber o que dizer ou fazer... é melhor ficar calado...

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

...

E se eu amanha não acordar??

E se eu nunca mais acordar??

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Mais uma vez...

E mais uma vez confesso...

Eu sou uma pessoa horrível. Eu sou horroroso...

Tenho medo de mim mesmo.

Morto vivo

Pareço um morto vivo...
Encontro-me a padecer sobre esta coisa maluca que muitos chamam de vida. Outra coisa maluca é este mundo que por mais que tente não consigo entender. Cada vez mais me encontro interiormente com vontade de simplesmente evaporar. Evaporar rápida e silenciosamente.
Com o tempo descobri que pura e simplesmente não existe ninguém completamente capaz de me entender... Serei eu o problema? Terei eu dificuldades em me expressar? Este meu jeito por vezes meio "galholho" de falar será a causa? Ou pura e simplesmente prefiro isolar-me no meu mundo e mais uma vez sofrer em silencio? Serei eu uma pessoa normal? Serei eu uma pessoa?

...

Subitamente encontro-me a pensar naquilo que para mim durante anos foi realmente muito importante. A importância persiste, mas não com tanta quantidade. Será que vale a pena tentar aproveitar esta vida? Será que em mim algo ainda vale a pena?

De copo na mão e cigarro ao canto da boca, sentado no chão encostado à primeira parede que encontro continuo eu a pensar se realmente ainda me vale de algo pensar...

Mais uma vez...
A vida é uma merda...

A vida não é boa e tem momentos de merda. A vida é uma autentica merda, tem é alguns momentos bons...
(cada vez mais escassos)

Mais uma vez...

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Boom Festival


Porque vale mesmo a pena =D
Espero depois colocar fotos do próprio festival ;)

sábado, 31 de julho de 2010

Leveza


Sinto-me assim, livre, leve e solta, feliz com o mundo =D
Graças a ti, devido a ti...

Que a saudade assoladora não me envolva e me sinta assim até o teu regresso.
De qualquer maneira, a saudade é sempre uma constante!

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Vida...

Sinto que a minha vida está para acabar...

sexta-feira, 16 de julho de 2010

Não me percas nunca mais



 "Esperei que a saudade fosse
porque o homem quando chora
Mais por dentro que por fora
E parei,  descansei entre dois braços,
que sabiam os meus passos
e é tão bom olhar para ti.

Se também tives-te medo
nisso então estamos iguais
se algum dia me perdes-te
sei que nunca me esqueces-te

NÃO ME PERCAS NUNCA MAIS...

Girassol



Não quero ser como tu, que te moves conforme a vida.
Quero que seja a vida a girar em função do meu movimento!

quarta-feira, 14 de julho de 2010

O Que Foi Que Aconteceu


E tu chegaste porque tinhas que chegar
Olhei para ti
O mundo inteiro parou
Nesse instante a minha vida
A minha vida mudou
Tudo era para ser eterno
E tu para sempre meu
...
Nunca senti bater o meu coração
Como senti ao sentir a tua mão
Na tua boca o tempo voltou atrás
E se fui louca
Essa loucura
Essa loucura foi paz
Tudo era para ser eterno
E tu para sempre meu
...
O que foi que aconteceu?

Falando em saudade...

Falando em saudade...
Saudade é aquele sentimento forte que me abrange por completo. Tenho saudades da própria saudade... Tenho Saudades da S, muitas saudades da S. Tenho saudades do E, do L e da P. Porque será... A minha vida envolveu-se demasiado na vida destas pessoas, a ponto de não conseguir perceber verdadeiramente em tempo real tudo aquilo que estava em causa. Pois, eis que agora é tarde... Muito tarde... Ou talvez não. Para sempre fica na memoria a vivência e diversão, fica a amizade, o carinho, as birras, as entre-ajudas... e muito mais, muito mais que meras palavras não conseguem explicar.. Quanto ao E... Parabéns e Felicidades. Tu mereces... Não te esqueças que prometeste umas férias ai e além... :) Quanto ao L, sei também que mais tarde ou mais cedo vais ler isto. Vê se te cuidas nestas férias e voltas em grande porque temos um curso para acabar! Vou ver se nos encontramos um dia destes, mas não está fácil... Quanto à P... põe-te fina que daqui a uns meses tens que dar uma jantarada em tua casa para eu relembrar umas coisas na varanda... (sim, estou a fazer-me de convidado). E quanto à S... S volta depressa que eu anseio a tua presença. S eu preciso de ti. S... S eu gosto de ti. S, espero que cuides bem de ti e que te lembres sempre de uma coisa do dia 30-06-10 pelas 04.30h (+-). Tenho muitas saudades tuas... Cuida bem de ti tal como prometeste.

Tenho saudades de vocês todos e muito mais.

Sinto-me completamente de rastos. A vida por cá está cada vez mais complicada....

Por quanto mais tempo eu vou aguentar....

Ate breve... (espero eu)

Bernardino

terça-feira, 13 de julho de 2010

"A saudade é um sentimento que não cabe no coração…escorre pelos olhos"

segunda-feira, 12 de julho de 2010

Sentidos inversos!

Saudade do coração que palpitava np peito junto ao meu.
Saudade do coração que palpitava pelo meu que sentia sem se fazer sentir!
Sentidos inversos!




Matilde

terça-feira, 11 de maio de 2010

E ACONTECEU....

Um SONHO, uma VONTADE, uma FORÇA e uma AMBIÇÃO

É uma alegria imensa e inacabável quando algo deste género acontece, mesmo que já aguardado. O Benfica mostrou novamente ser a maior instituição desportiva nacional, com uma massa associativa, e simpatizante que tem comportamentos de pura festa e alegria, sem que com isso tenha que recorrer à violência como noutras instituições isso se verifica.
O Benfica provou ao longo da época ser a melhor equipa. o Benfica mereceu, o BENFICA VENCEU.

Não podia deixar de dar os parabéns ao Braga que ao longo da época foi a única equipa que competiu verdadeiramente com o Benfica. Parabéns Braga.


BENFICA CAMPEÃO

SPORT LISBOA E BENFICA 

BENFICA CAMPEÃO NACIONAL 2009-2010

ADORO-TE BENFICA 

segunda-feira, 10 de maio de 2010

Desculpa e... Parabens!!

Cara Matilde, era para ter feito isto ontem, mas por questões ao qual não me sinto capaz de responder, não deu para o fazer...

fica aqui hoje, com um dia de atraso... mas a intenção é que conta...

PARABÉNS!!!!!!!!


Beijo.


Bernardino

quarta-feira, 5 de maio de 2010

É assim que me encontro...

Deprimido
Cansado
Sem tempo para nada
Sem vontade para nada
Sem paciência para nada
À beira do abismo


Um dia desisto de tudo por completo. Desisto de tudo mesmo...
Tenho dito...


Bernardino

segunda-feira, 26 de abril de 2010

quinta-feira, 22 de abril de 2010

Cansado de tudo


http://www.restaurantefidalgo.com/images/garrafas2.gif


Apetece-me tanto tanto

Apetece-me ir bebe como se não houvesse amanha, deitar-me sem saber bem o que ando a fazer, e acordar um ano depois, sem problemas, sem chatices, sem trabalhos, sem nada. apetece-me que o tempo pare e não passe mais. apetece-me gritar, apetece-me explicar ao mundo a grande merda que ele é. apetece-me... apetece-me tanto...
o pior é que estou a olhar para elas aqui mesmo à minha frente. nao sei qual a maior vontade, a de as agarrar ou a de as partir e ao trabalho voltar. 
fará sentido uma vida assim?  Uma vida sem tempo para fazer nada, nem se quer as coisas que têm mesmo que ser feitas, uma vida sem sucesso, uma vida de trabalho e de esforço. Viver uma vida esgotado e cansado, uma vida de trabalho duro sem saber se algum dia vale a pena?
apetece-me adormecer e acordar daqui a um ano, sem que o tempo tenha passado. apetece-me acordar diferente. apetece-me acordar o eu que a muito está adormecido sei lá bem eu onde.

APETECE-ME TUDO E NÃO ME APETECE NADA.

APETECE-ME IR PARA OS COPOS, OU FICAR MESMO POR AQUI COM ELES...


SERÁ QUE ALGO NA MINHA VIDA VALE MESMO A PENA?


Estado de depressão constante...  
 

Mantém-te Original

Já tinha ouvido falar sobre esta publicidade noutros blogs, fui ver...e está simplesmente genial, Amei =D

Matilde

quarta-feira, 21 de abril de 2010


Há dias que o coração gela e nada mais!

Matilde

domingo, 18 de abril de 2010

Completamente sem saida....

É assim que se encontra todo o meu ser. Encontro-me numa situação, ou em várias situações, completamente sem saída. Encontro-me em vários labirintos. Tenho vontade de desistir de tudo. Tenho vontade de me isolar, de me refugiar. Tenho vontade de desaparecer...
Já não consigo mais esconder o que penso e o que sinto. Não aguento quando me é colocada tal pressão em cima, não aguento. Não sei viver sem pressão, mas de todo, tenho que ser eu a coloca-la em mim. Não aguento que outrem me coloquem qualquer tipo de pressão em cima. Não aguento mesmo. Encontro-me num beco sem saída. A dúvida maior que habita em mim de momento, é se realmente eu quero sair deste beco, ou se me quero por cá esconder para todo o sempre? Não sei. Não sei mesmo o que fazer, o que pensar, o que dizer. Não sei nada :s , sou um ignorante que aqui ando, um burro (como alguém me disse hoje várias vezes...)
Já não consigo chamar a esta coisa maluca de vida, não consigo fazer com que ela faça sentido todos os dias. Tento diariamente tirar o melhor de tudo, até de uma ferida eu tento tirar o melhor, que será a cura. Mas não está fácil continuar neste rumo. Ou melhor, não está mesmo nada fácil continuar SEM RUMO...

Mais uma vez...
Sou um fraco.

Mais uma vez...
Mais uma vez...

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Se ele nao abrir?


 *Imagem: http://farm3.static.flickr.com/2259/2195647013_1c5520d66d.jpg


E se ele um dia não abrir, mesmo na hora que é necessário que ele abra? É assim que se encontra a minha vida, é assim que se encontra todo o meu ser. Encontro-me numa incerteza tão mas tão grande como aquela que teria com certeza na primeira vez que fosse necessário ele abrir e eu não soubesse se quer o que fazer para tal. Estou numa batalha tremenda com tanta coisa à minha frente  que sou capaz de desistir desta m...da em menos de dois segundos... Está negro o meu timing de novo. Está negra esta minha vida de novo. Atribulada, muito atribulada mesmo. Haja forças que venham de todo o lado para me ajudar. Penso que nem com a ajuda da famosa "mão invisível" isto ia ao sitio. Estou num dilema maior que o tão famoso "dilema do prisioneiro".
Quero me encontrar de novo.
Quero, quero mesmo muito... 

MAIS UMA VEZ...

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Matilde



De emoções confusas!( Não têm todas o seu qb de confusas?!)
Louca e estérica, fechada e solta, sem medos e com todos eles na sua mente!Impulsiva ou pensa demasiado antes de agir, o resultado é quase sempre merda!
Louca, ups repetido, repete loucuras e a sua mente fervilha delas, sedente de vida e dos seus prazeres, prende a si os que a cativam com os melhores laços, amor á caneta e ás palavras de Pessoa, amor á boémia!
Dorme enquanto vive e vive enquanto dorme.Vive tão futilmente e tão 'ao de leve', aproveita tudo o que lhe é possível, vive intensamente! Gosta do sol e da chuva, os seus dias são acção, pensamento, apatia ou preguiça! Amante do sexo, álcool, música e droga esporadicamente!
É tão cheia de tudo e tão cheia de nada, tão inconstante e inconsciente!

É assim um ser inexplicável, sem explicação,  confusa por natureza - um vulcão explosivo, uma alma pacifica e incontrolável!

E diz que é uma espécie disto, ou então não!

Matilde

terça-feira, 13 de abril de 2010

Descoberta!!!

Caros leitores/as sabem o que eu descobri ontem? pois é, ontem fiz uma descoberta um tanto ou quanto engraçada!!
Ontem descobri que a menina MATILDE fala sozinha no seu quarto, e como se isto não fosse já engraçado o suficiente, a menina MATILDE fala de roupa interior no quarto!!!
Então resumindo a verdadeira descoberta:
A MATILDE FALA SOZINHA NO QUARTO SOBRE ROUPA INTERIOR!!!!
ahahah
Ai Matilde Matilde, como tu andas rapariga.
lol

Quando os teus lábios tocam nos meus e se envolvem, 
o meu corpo incendeia ,
a minha mente desliga, só te sente!
É um desejo que emerge...

sexta-feira, 9 de abril de 2010


10h30 da manhã!
Devia estar a ir para as aulas, ou não, hoje é sexta e não tenho aulas, tive toda a semana e nem cheguei perto da Universidade!
Plena Semana Académica, muitoo álcool todos os dias e não só, loucuras e devaneios, amor!E ressacas, bem grandes!
Amor?!- O Amor é fodido!E fode a vida de uma pessoa!
Mais uma noite, A noite, um bafo, uma tontura, tudo em ordem...os sentimentos a fluírem!WTF?!
Finalmente tive coragem para dizer tudo o que sentia e esse não era alucinação..."O meu coração está vazio!"- não me vou esquecer tão depressa!

Isto não é um regresso!
Vou dormir, que o meu mal é não dormir!
Até um dia*

Matilde

quarta-feira, 7 de abril de 2010

Aproveitar o sol!



Temos que aproveitar o solinho que nos vai aparecendo para ir fazendo algum exercício. hoje vou correr com um amigo meu:)

Vamos ver quem está com mais velocidade:) hihihi

Dia para reflectir sobre alguns temas de trabalhos e para organizar as tarefas, mas também aproveitar o sol, nem que seja a correr por algum tempo:)

Não pode ser só trabalho e culto da mente, tenho também que arranjar tempo e vontade para apanhar ar, e para trabalhar no culto do corpo, se não qualquer dia estou um "armário" e ainda arranjo ai algum emprego na porta de uma discoteca!!! lol 

Aproveitem bem o SOL  : )
(eu vou tentar fazer o mesmo!) 

terça-feira, 6 de abril de 2010

Fazer pela vida

Semana académica, arraial da cerveja, tempo ameno, gritos na rua, diversão eminente...

enquanto uns andam por ai aos gritos e a beber que nem uns desalmados a curtir ao máximo, eu encontro-me em frente ao PC a tentar fazer pela vida.

não temos todos as mesmas oportunidades, nem temos todos as mesmas prioridades. mas confesso que me faz uma certa inveja...
lol
NÃO SOU INVEJOSO

Que se divirtam e que aproveitem ao máximo:p

sexta-feira, 26 de março de 2010

VIDA...

Tenho vontade de viver, vontade de vencer, vontade de me levantar e de me manter na corrida. Tenho vontade de caminhar e deixar marcas, de olhar para trás e ver o meu rasto. Tenho vontade de vencer, vontade de viver, vontade de ser feliz. Enquanto isto tudo não passa de um sonho, eu vou continuando a fazer isso mesmo, vou continuando a sonhar, sonhar e trabalhar para que esse sonho num futuro próximo seja algo mais que um sonho. Enquanto isso não acontece, vou tentando sobreviver, na impossibilidade que verifico de viver. A vida é demasiado curta para se perder tempo a pensar no que não correu bem, temos que conseguir ser fortes e tentar fazer com que o futuro seja melhor. Tenho vontade...
Gosto demasiado de viver para desistir de triunfar, para desistir de vencer. cada dia é um dia, ver a vida por um fio torna a historia toda mais emocionante. Quero viver a vida com naturalidade porque ela dá voltas sem avisar. Quero erguer-me e gritar bem alto que estou vivo para ela. Quero viver a vida...
Quero...

Mais uma vez...
Quero mesmo muito...

E mais uma vez me ponho a pensar, tanta vontade tanta vontade, mas será que algum dia vou conseguir ganhar esta luta terrível de acordar no dia seguinte e olhar o mundo tão complexo como ele é e ser feliz?

Mais uma vez a duvida cai sobre mim, e penetra todo o meu ser. Será que algum dia vou ser feliz na medida que ambiciono? Será? Parece que a dúvida permanece eternamente em mim.

Mais uma vez...

Dia D...

Eis que, após ter descoberto à pouco mais de uma semana que não me conheço na integra, que não estou preparado para certas situações que a vida me coloca, hoje é um dos dias em que a vida me vai colocar à prova. Será que vou sair bem desta aventura? Ou será que, simplesmente vou fracassar?
Haja força e coragem para este desafio. Quero saber onde encontrar a força e a calma necessária para o que se aproxima. Quero ser forte. Acima de tudo quero voltar a ser o "eu" que era a uns tempos atrás...

quinta-feira, 25 de março de 2010

Ai chuva chuva...

Chuva que voltou até nós. Está um dia cinzento de todo, um dia propicio para deprimir. É bom sentir a chuva lá fora, mas por outro lado esta chuva puxa pela nossa mente em busca de recordações menos boas, em busca de recordações deprimentes, desagradáveis mesmo.
Contra a minha vontade, mais uma vez estou aqui com a moral toda em baixo, tenho que fazer algo para elevar o meu ego, e rápido. 
Mais uma vez não sei o que fazer...

Mais uma vez...

quarta-feira, 24 de março de 2010

Telefonema anonimo

Existem pessoas que na impossibilidade de o fazer pessoalmente pegam num telemóvel e falam com quem querem, sobre o que querem como querem, mas existem outros seres, ao qual tenho uma certa dificuldade de designar de pessoas, considero mais uns bichos, e mesmo assim penso já estar a ofender os bichos mesmo ao compara-los com estes seres. Um bicho desses hoje ligou-me a dar-me uma espécie de um aviso, dizendo para eu pensar bem na minha vida porque se não ela ia ser curta. É óbvio que a cobardia é tanta que o telefonema vinha anónimo. Quando será que essas pessoas crescem e começam a dizer as coisas pessoalmente? ou na impossibilidade de o fazerem pessoalmente quando será que possuem a dignidade requerida para simplesmente se identificarem?
realmente este mundo anda contaminado por uma espécie de bichos que se está a tornar uma ameaça para a sociedade.
Aproveito para informar que fui mesmo ameaçado.
Fico a espera que me contactem pessoalmente, por isso, se leres aqui bichinho esquisito, se leres isto liga-me, mas desta vez não me ligues anónimo. Gosto de ver os números do telemóvel quando alguém me liga..

E, como não podia deixar de ser, mais uma vez alguém me põe a pensar em coisas desagradáveis...

Mais uma vez...

segunda-feira, 22 de março de 2010

Mais uma vez..

ele: Estas aqui?
eu: Estas a falar para mim?
ele: Não, estou a falar para o vizinho (com ironia)
eu: Ainda bem que não estás a falar para mim, porque eu moro aqui não sei se te lembras
ele: Quem diria, só vens cá ao fim de semana e é quando vens
eu: Pelo menos venho passar o fim de semana a minha casa e não a casa dos outros como é o teu caso
ele: Mas esta também vai ser a minha casa (risos)
eu: Boa sorte para ti então. Enquanto eu tiver juízo não vais mandar aqui nada como pensas e já andas a tentar. Não te esqueças de qual é a tua posição se não vamos ter ainda mais problemas
ele: Isso é o que nós vamos ver
eu: Tem cuidado com o que andas a fazer que as coisas podem correr mal para o teu lado
ele: Vamos ver quem manda aqui daqui a uns meses
eu: Vais mas é ...
(a conversa foi interrompida com a entrada de alguém no local onde esta se desenrolava)

eu ia manda-lo para o lado de lá!! xD

a vida não está fácil para os meus lados. eu estava em minha própria casa...

haja paciência e forma de resolver os meus problemas...


BOM DIA E BOA SEMANA

sexta-feira, 19 de março de 2010

sexta-feira

é sexta feira, e nem me apetece se quer fazer a mala para ir para a terrinha. algo se passa em mim, algo se passa com o mundo, aquilo que durante tanto tempo eu ansiava agora é como que a maior obrigaçao que tenho. estarei eu no mundo em que sempre estive?

mais uma vez nao sei o que fazer, nao sei o que dizer e nao sei o que pensar. a vida está completamente do avesso...

mais uma vez...

Luz que guia


Preciso de algo que ilumino os meus dias, que ilumine a minha vida, que ilumino o meu cérebro. preciso de uma luz que me guie. até onde não sei, mas desde que me tire de onde estou já é muito bem vinda.
ILUMINEM-ME 

quinta-feira, 18 de março de 2010

Vida, vida minha

É assim que se encontra a minha vida, o meu cérebro, todo o meu ser. estou numa caminhada de altos e baixos, de subidas e descidas, numa estrada irregular, e sem fim visível. sem saída. estou numa estrada sem saída.

Mais uma vez não sei o que fazer...
Mais uma vez...


Mais uma vez... 

Humanamente humano

Humanamente humano seria eu tentar compreender o mundo antes de querer que o mundo me compreenda. A vida é demasiado complexa para mim, não consigo entender-me a mim mesmo nem nada do que se passa em meu redor. Haja algo que mude a rota da minha vida. Haja algo que mude o meu mundo, que mude o meu ser.
Haja esperança
Haja força
.....

Mais uma vez de cabeça completamente perdida
Mais uma vez...
Mais uma vez... 

Bom dia e boa quinta feira!

terça-feira, 16 de março de 2010

E tu? conheces-te a ti mesmo???

Conhece-te a ti mesmo para tentares conhecer os outros, já nos tempos da filosofia antiga Sócrates, aquele que por muitos é considerado o Pai da Filosofia tentava intuir essa ideia.
Hoje inesperadamente fui colocado a prova, e sinto que falhei naquilo que nunca me passou pela mente falhar. Hoje descobri que não me conheço, que não me controlo, que não sou dotado da capacidade que pensava ser. Hoje descobri que a qualquer momento a sociedade me pode colocar em situações de risco para o meu agitado sistema nervoso, e para o meu cansado motor, para o meu coração. Acima de tudo, hoje descobri que sou mais fraco do que pensava ser. Será isto bom para mim? Inicialmente, confesso que me deixou derrotadissimo comigo mesmo. Tirou-me a motivação que possuía, mas como o velho ditado afirma que não existe nada melhor do que aprender com os nossos próprios erros, assim o espero, e espero ter aprendido a lição, espero para a próxima me lembrar do quão fraco sou ou posso vir a ser dependendo da situação em que me possam submeter. No entanto, não assumo desde já uma posição derrotista, pois, apesar de ter o mau sabor da ideia de que não me conheço na integra, sei que possuo algum valor, sei que consigo fazer as coisas, sei que consigo triunfar, mesmo que isso implique levar aqueles famosos “pontapés de baixo de mesa” como se costuma dizer, e aprendendo aos poucos com os meus próprios erros, já que por não me ensinarem ou por eu não querer aprender de outra forma não consiga perceber certas coisas em tempo útil de remediar a situação. Fica aqui a promessa de ter forças para remediar esta situação, ainda que não saiba muito bem como o fazer. A promessa de vencer esta batalha esta feita. Desistir só quando não tiver mais forças!
E ...
Mais uma vez me sinto um fraco
Mas...
Mais uma vez ganho forças e vontade de vencer
Mais uma vez ganho coragem
Mais uma vez um rol de questões abala todo o meu ser
Mas...
Mais uma vez tenho vontade de mostrar ao mundo aquilo de que sou capaz
Mais uma vez...
Mais uma vez...
Mais uma vez...

Bernardino

quarta-feira, 10 de março de 2010

EUROMILHOES, por favor, eu estou aqui com tantas ideias...

BMW 320d, 2.0, 177 cavalos. É mais que um sonho, quero que seja um futuro proximo (antes que venha o modelo novo e me apaixone outra vez!)

sexta-feira, 5 de março de 2010

Viver ou morrer?

Já alguma vez pensou em se suicidar?
Vale mesmo a pena viver?
Morrer é solução para alguma coisa?
O que está para lá da morte compensa?  
 
BREVEMENTE! 
 
imagem: http://curitibaneando.files.wordpress.com/2009/04/enforcado.jpg 
 

A Nuclear Bomb...

Uma enorme explosão abateu sobre todo o território abrangente ao meu cérebro. A bomba atómica estava em fase de construção, e mal ficou concluída detonou. Parece que os meus neurónios não quiseram esperar muito tempo, e de imediato a obrigaram a detonar. parece que o meu cérebro se encontra de momento em fase de resgate de sobreviventes, como que, com esperança de encontrar alguma destas minhas imprescindíveis moléculas, com força suficiente para arranjar solução para os meus problemas. Parece que não está fácil resgatar uma esperança no meio da enorme nuvem de fumo e da enorme radioactividade que permanece dentro de mim. Uma explosão destas nunca é boa, mas penso, se é que ainda consigo pensar, penso que esta não foi de todo uma altura benévola para um acontecimento tão atroz como o que acabou de abater sobre o meu cérebro. Penso que já não consigo pensar, e ao mesmo tempo penso que estou a pensar, mas, na realidade, o que eu queria mesmo era estar a sonhar. Não, não é um sonho. Sim, sim, é a vida que mais uma vez me pregou uma grande partida. Já não consigo encontrar mais uma única migalha de forças dentro de mim para tentar lutar contra os obstáculos que a vida me oferece, como quem oferece um presente a alguém. Resta-me unicamente aceitar, e tentar acostumar este cérebro irrequieto. Mas será que é isso que eu quero? E mesmo que seja isso que quero, será que ainda vou a tempo? Não consegui evitar a detonação que já a muito previa, mas que a todo o custo queria evitar. Não consegui parar os meus neurónios antes de se auto-mutilarem entre si. Não consegui. Deu-se no meu cérebro uma grande explosão, será que ainda vou a tempo de me acostumar e sobreviver sem nada na vida perder? De sobreviver sem sofrer? Não, não consigo. Estou a beira de enlouquecer, se é que não enlouqueci já. Parece que não ando a viver. Parece que ando somente a Sobreviver, para tentar não morrer. Parece que estou vivo no exterior, mas que o meu interior está em coma profundo. Parece que não existe vontade de lutar dentro de mim. E mais uma vez, como não podia deixar de ser, um numero imensurável de questões abate-se diante do meu ser, e sem querer morrer, mas também sem conseguir responder, coloca-me de novo numa situação de imensa tensão. Mais uma vez...

 
 imagem: http://ladainhasladainhas.files.wordpress.com/2009/12/padre-bomba-atomica.jpg 



quarta-feira, 3 de março de 2010

Pausa!

Preciso de uma pausa do mundo, 
ou que abrande,
 não estou habituada a este ritmo,
 é depressa de mais para mim!
Sinto-me cansada, 
com o corpo frágil e dormente, 
desconfortável comigo mesma!
...



Matilde

terça-feira, 2 de março de 2010


A obrigação de um beijo é tipo a prova dos nove.
Ou ferve, ou fica em banho maria ou é um grande balde de água fria.



segunda-feira, 1 de março de 2010

Bicarbonato de Soda

Bicarbonato de Soda

Súbita, uma angústia...
Ah, que angústia, que náusea do estômago à alma!
Que amigos que tenho tido!
Que vazias de tudo as cidades que tenho percorrido!
Que esterco metafísico os meus propósitos todos!

Uma angústia,
Uma desconsolação da epiderme da alma,
Um deixar cair os braços ao sol-pôr do esforço...
Renego.
Renego tudo.
Renego mais do que tudo.
Renego a gládio e fim todos os Deuses e a negação deles.
Mas o que é que me falta, que o sinto faltar-me no estômago e na
circulação do sangue?
Que atordoamento vazio me esfalfa no cérebro?

Devo tomar qualquer coisa ou suicidar-me?
Não: vou existir. Arre! Vou existir.
E-xis-tir...
E--xis--tir ...

Meu Deus! Que budismo me esfria no sangue!
Renunciar de portas todas abertas,
Perante a paisagem todas as paisagens,

Sem esperança, em liberdade,
Sem nexo,
Acidente da inconsequência da superfície das coisas,
Monótono mas dorminhoco,
E que brisas quando as portas e as janelas estão todas abertas!
Que verão agradável dos outros!

Dêem-me de beber, que não tenho sede!

Álvaro de Campos, in "Poemas"
Heterónimo de Fernando Pessoa



domingo, 28 de fevereiro de 2010

Sol, Sol, estás a ouvir?!


Querido solinho, volta sim?!
Não posso mais com estes dias cinzentos e molhados!

Noticias desportivas (actualizado)

A poucas horas do jogo que cruza a equipa do Sporting com a equipa do F.C.Porto, e com o Benfica a dominar e vencer ontem no estádio do Leixões por 4-0, e o Braga a cumprir também as suas obrigações vencendo ao olhanense, na sua casa por 3-1, aqueles que quer queiramos quer não, são dois grandes do campeonato português defrontam-se hoje, numa partida que conta para a 21ª jornada. o Porto encontra-se de momento em 3º lugar com 43 pontos, a 8 do segundo, o Braga, e a 9 do primeiro, Benfica. Enquanto que o Sporting está a ocupar a 5ª posição da tabela com 29 pontos, atrás do Guimarães que tem 30 pontos, com mais um jogo. se o Porto ganhar, ficará a 6 do líder Benfica, e a 5 do segundo, Braga, relançando-se assim pela luta do titulo, e dando novamente mais vida ao campeonato. se por outro lado o Sporting vencer, será óptimo para os seus adeptos e simpatizantes que desesperam para que a equipa acerte finalmente e consiga ainda lutar por um lugar mais cimeiro no campeonato.
Em suma, um encontro entre duas equipas grandes do futebol nacional, um encontro entre duas equipas fortíssimas que se respeitam mutuamente, e que por motivos bastante diferentes, ambas precisam de ganhar a todo o custo. com ambos os planteis repletos de qualidade, qualquer jogador pode fazer a diferença.

a pergunta que faço é:

Quem vai ganhar este jogo???




Pós-jogo:
vitória convincente e merecida do Sporting num jogo em que, confesso que me surpreendeu muito. pessoalmente esperava uma vitória do Futebol Clube do Porto. Pessoalmente, como verdadeiro Benfiquista que sou, fico satisfeito com o resultado, apesar deste não interferir no meu ponto de vista nas hipóteses do Benfica ser campeão...

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

O regresso do "outro"

É tão bom chegar a sexta feira à noite, colocar algumas peças de roupa numas malas e fazer-me à estrada para passar mais um fim de semana em casa dos meus pais, na "minha" casa, no meu lar, no meu aconchego, onde vou ter com certeza a comidinha da mamã para consolar o estômago, onde com certeza vou encontrar aquele conforto a que estou habituado. Onde vou encontrar o "meu sofá", e nele me vou esticar todo depois de jantar enquanto a família toda resmunga porque faço sempre aquele gesto quando venho à sexta feira à noite.. Aquele que foi o meu primeiro lar, será para todo o sempre o meu lar, independentemente de o ser em modo permanente ou em modo parcial. Como na maioria das sextas feiras,, faço-me à estrada, e a pensar em coisas mínimas, tais como interrogar-me acerca do que a mamã teria preparado para o jantar desta vez, juntando isso à fome que o meu estômago insistia em não querer esquecer a viagem até passou mais rápido do que eu esperava. Sem dar por ela lá estava eu a entrar em casa, qual não é o meu espanto que mal fecho a porta da entrada oiço uma voz a dizer "olha, já chegou o outro" após reconhecer aquela voz, olho para o lado e vejo que o detentor da voz que tinha provocado impacto em mim com as palavras que proferira segundos antes estava a ocupar o "meu sofá" na posição em que só eu o costumava ocupar. Uma enorme fúria nasce em mim, tinha vontade de começar à pancada nele, e tive que fazer um enorme esforço para me controlar. O meu maior espanto foi olhar para os meus pais e vê-los assentir com naturalidade aquilo que alguém tinha dito, como se fosse a maior verdade do mundo. Parei por algum tempo, sem se quer pousar as malas. Parecia que estava colado ao chão, e permaneci naquela posição alguns segundos. Acalmei-me e tentei que a calma permanecesse, tentei agir com calma e naturalidade, mas apesar do meu enorme esforço isso não se verificou. O jantar foi acompanhado por um clima tenso, mas mais tenso ficou quando dou conta que esse alguém usava os meus chinelos e a minha camisola. Ele tinha-me tratado à minutos atrás como sendo eu "o outro", usava as minhas coisas, e ocupava o meu lugar da forma que só eu o ocupava. Era nítido que alguém tinha entrado sem bater à porta, e se tinha apoderado do que me pertencia sem pedir ordem, mas o mais frustrante era ver a naturalidade com que os meus pais assentiam isso.
Após o jantar saio porta fora sem dar uma única satisfação a ninguém, isso não é de todo normal em mim. começo a caminhar por entre a chuva até que dou por mim sentado no chão, e como já é habitual, não só, mas principalmente em situações complicadas, com fumo a erguer-se de uma das minhas mãos, encontro-me na solidão a pensar naquilo que se tinha passado, em tudo o que se estava  a passar, naquilo que estava a acontecer. Após algum tempo, e mesmo com a chuva e o frio a perturbar o meu pensamento chego a uma conclusão. Alguém tinha entrado naquele que foi o meu primeiro lar, e naquele que será para sempre o meu lar, alguém tinha entrado na "minha casa" e tinha tomado o meu lugar. Era revoltante para mim o que tinha acabado de acontecer. Chegar a casa, ser tratado como "o outro" e ver alguém a usar as minhas coisas com a maior das naturalidades provocava em mim uma fúria tão grande que tinha momentos que não me conseguia controlar e começava a atirar pedras para tudo quanto era sitio. Eis então que um rol de perguntas sem resposta começaram a nascer na minha cabeça, e perguntas tais como: "o que estou eu aqui fazer?", "como é possível que alguém tenha tomado o meu lugar e usado as minhas coisas?" "como é possível que eu seja "o outro" na "minha própria casa"?", "o que é que eu estou aqui a fazer, não só aqui mas no mundo?", estas e muitas outras perguntas semelhantes nasceram na minha cabeça, provocando em mim uma incerteza tão grande que tive vontade de agarrar no carro e ir embora sem avisar ninguém e nunca mais voltar. Parece-me a mim que perdi aquilo que, talvez fosse o melhor que tinha na vida. perdi um pouco do estatuto que tinha na "minha" casa, no meu lar. Parece que agora alguém me substituiu e me superou, efectivamente em mim paira um sentimento de revolta. Sinto que fui trocado, e trocado por alguém que não possui raízes nem ramos na árvore genealógica da minha família. Fui trocado por um estranho, e de repente eu sou o "outro"
Efectivamente, em mim não nasce só um rol de perguntas sem resposta, em mim não nasce só fúria e tristeza, em mim nasce, sem a menor duvida, a maior crise existencial da minha vida, onde a pergunta "o que é que eu ando aqui a fazer, não só aqui em casa, mas no mundo. qual é o meu lugar aqui e no mundo?", ganha forças e não respostas e provoca em mim um descontrolo fenomenal. sem saber o que fazer, sem saber que rumo tomar, dou por mim encharcado novamente a caminhar.
  vida não me sorri. O fim de semana avizinha-se negro e tenso, e efectivamente, perdi o meu lugar no meu próprio lar. a vida não é justa.
 Sem saber o que fazer, continuei a vaguear, numa tentativa de ir ao encontro do infinito...
Efectivamente, perdi aquilo que mais bom tinha na minha vida. perdi o meu lugar no meu próprio lar. perdi o meu estatuto... deixei de ser eu...
  

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

24 de Fevereiro de 2010, um ano depois

Há um ano atrás, o meu mundo caiu, o barco afundou rispidamente, a minha avida mudou!
O que parecia ter sido 3 meses a dois, com 'sonhos futuros', sorrisos e cumplicidades chegara ao fim, ou nem nunca existiu e foi tudo ilusão minha!
Um fim com justificações parvas, sem qualquer sentido, contraditórias, o que dois dias antes era 
-"Olha nos meus olhos - Amo-te ", passava a ser 
-" Gosto muito de ti, mas isto tem de acabar, vais sofrer quando eu partir(que nunca aconteceu!), podemos continuar a fazer tudo como fazíamos mas sem nos relacionar, sem fazer amor!" (então a relação era só sexo?!)- continuo sem perceber estas justificações, mas também já não quero saber! 
Ainda bem que acabou, mas isso penso hoje, foram meses que doem, meses em que a ferida estava aberta, teimava em sangrar constantemente e não sarar,  duvidas e 'porquês' que não não encontravam respostas.
Após um ano, ainda não percebi se me fez mais bem  que mal ou vice versa, encontra-se 50/50!
A verdade é que eu sinto falta do que era antes de te conhecer, quando não sentia, não pensava, os problemas passavam-me ao lado, era livre e feliz sem preocupações. Depois de estar contigo muito mudou, penso e sinto, penso de mais, em tudo, no viver e viver 'correctamente' que no fundo não é viver, sinto em mim todas as emoções e não sei lidar com elas, tenho dificuldade em distingui-las e separá-las, tudo isto ocupa a minha mente, pesa e transtorna-me. Estes aspectos entre tantos outros não são totalmente negativos como os pinto, só que custa olhar para trás e ver que antes estava sempre num bem estar, nem que fosse mínimo, custa também tudo o que aconteceu, tudo o que senti, todas as vezes que a vida não fazia sentido de ser, todos os problemas que se seguiram a este fim, que na verdade nunca teve um inicio definido.
Doeu saber que aqueles três meses em que tinha sido feliz, não tinham passado de um triângulo amoroso, de uma fachada, que grande parte do mundo à minha volta tinha essa noção, só eu não! Mas, facto é que esses meses verdadeiros ou não, foram bons e acho que não me arrependo deles, acho, agora as certezas sobre tal já não me interessam, a página virou-se e o capítulo mudou!
O pós meses feliz e apaixonada foram tão  sombrios, negros, uma apatia perante a vida, um desejo de não viver e tudo acabar, uma crise de identidade, de tudo, nada sabia, nem mesmo o que eu era neste mundo. Mesmo perante tal cenário, esboça-se um sorriso nos meus lábios e forma-se uma lágrima no canto do olho. Sorrisos e lágrimas fruto de algo que só se sente, não se explica, emoções que ocorrem quando se vêm luzes num buraco tão negro, luzes que nunca desistiram de mim, de me fazer sorrir, luzes que estavam sempre a meu lado, mesmo que longe fisicamente, que limpavam as lágrimas e me abraçavam transmitindo todas as suas boas energias, mesmo que eles próprios estivessem num buraco como o meu.
Só por isto, por estes laços fortificados, estas pessoas que nunca me deixaram desistir, que acreditaram, valeu a pena tudo o que tanto doeu, por elas a vida tem mais valor, faz todo o sentido.

Nunca ouvis-te da minha boca, nunca o disse ou escrevi, mas AMEI-TE e tal como tu achas, eu também acho que guardo rancores, mas estão guardados, fechados no passado e é aí que vão permanecer, não mexas ou tentes mexer neles, não há necessidade de saírem do passado e instalarem-se num presente.

Foi um capítulo  de vida estranho, também nós somos estranhos e essa estranhesa mantêm-se e manter-se-á numa certa distancia, num muro imaginário, um nível de confiança que não se toca, pois o muro não permite.
Hoje não vou comemorar como disseste, mas agradeço-te os bons momentos e o fim, que apesar de tudo me trouxe coisas boas.




Pensamento da noite!!! :)

"Carpe Diem"
aproveitem a vida!

Coisas estranhas...

Desta vez decidi premiar os leitores com uma curiosidade, muito muito, mesmo muito curiosa!!
 Os eng civis, juntamente com os arquitectos andam por ai a vaguear e a inventar cada coisa, coisas que me deixam completamente perplexos. Mas, já antigamente se construía de uma forma estranha!!!!!
ora vejam dois exemplos do que falo:

a arquitectura antiga: 

 

ou então a arquitectura moderna: 
 

Realmente fiquei mesmo sem palavras!!!


 mais em:
http://detrolhaaengenheiro.wordpress.com/2007/10/03/as-casas-mais-estranhas-do-mundo/
http://www.estranhomasverdade.com/forum/index.php?topic=8139.0
http://images.google.pt/imgres?imgurl=http://decoracaofacil.com/wp-content/gallery/arquitectura/arquitectura-moderna-casa-arquitecto-1.jpg&imgrefurl
 e muitos outros!!!

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Será que aquela pessoa que nos ocupa o pensamento constantemente pensa em nós?
Tanto como nós? Será que pelo menos se lembra de nós?
Aquelas pequenas coisas que nos fazem associar a ela, movimentos, palavras, actos...elas também fazem uma associação semelhante à nossa?
Será que se lembram daquilo que nos disseram? De dizer e ouvir gosto de ti, não quero perder-te NUNCA!?

Talvez NUNCA  vá saber, também pelo menos assim tenho as duas hipóteses, o Sim, lembro-me, és uma constante, incessante, ou o Não!
Assim sem saber, prefiro acreditar que sim!


P.S.- Eu penso em ti, lembro-me de ti, de palavras proferidas, és uma constante...não quero que deixes de o ser nunca!

Madeira, fevereiro 2010

 
(Foto in: http://jn.sapo.pt/multimedia/galeria.aspx?content_id=1499938 - segundo a fonte, foto de Tiago Rosas)

É sabido que a natureza gosta de se esconder, mas por vezes têm a capacidade de mostrar ao mundo a sua verdadeira força. Como a politica de planeamento urbano e geográfico na ilha da Madeira não é a melhor, a natureza destruiu parte da ilha deixando imensas vitimas mortais, imensos desaparecidos e imensos desalojados. São estas as consequências de uma "catástrofe natural" sobre uma politica de urbanismo descontrolada na bela ilha da Madeira.
Em suma, a catástrofe era inevitável, mas os danos, se a politica urbanista fosse outra, com certeza que seriam não na sua maioria, mas numa grande parte, muito menores do que foram, e a situação da ilha seria com certeza bastante melhor do que a actual situação que se verifica.

Bernardino

Efectivamente, como humanos que somos não podemos decidir a verdadeira extensão da vida, mas podemos torná-la profunda e viver cada momento como se fosse o último! Como? talvez um pouco com a ajuda da verdadeira amizade. Um amigo verdadeiro é alguém que crê em nós mesmo quando nós deixamos de crer em nós mesmos...
alguem uma vez disse que a amizade é um dom que muitos possuem, mas poucos sabem cultivar.

poucos, mas felizmente ainda tenho bons amigos! um forte abraço e um obrigado para eles!




Bernardino

onde andam as forças?

Já não consigo arranjar argumentos suficientemente credíveis para descrever o que vai dentro de mim. Mas, subitamente acontece algo que me muda um pouco. Uma conversa, por mais k sem motivo especial para acontecer acaba sempre por ser indispensável ao meu estado. Falo de uma conversa em que o outro membro é uma pessoa totalmente humana, que, sem obrigação nenhuma para tal, se dedica e me ajuda. Ainda existem boas pessoas neste mundo. O complicado é descobri-las. Acho que a mim foi como que uma dádiva vinda do além, como que num momento mesmo fulcral da minha vida aparece assim quase como que impensável, imprevisível, alguém capaz de me ajudar, simplesmente com umas palavras. Será um dom? O que é não sei, mas também não estou muito preocupado com isso. Só estou preocupado em aproveitar o momento, aproveitar o facto de ter alguém que me faz tanto bem. E os antecedentes, esses pouco importam. O que vai dentro de mim é como que inexplicável e inconfundível. É absurdo alguém pensar dia e noite nas mesmas questões, e a cada momento uma nova pergunta sem resposta a pairar dentro de mim. É como que se a chama se apaga um pouco mais a cada segundo que passa, e, pelos sabedores antigos a chama tem que ser inapagável. É como que a barra da energia está a chegar ao fim, e a luz de aviso já a muito que acendeu. O motor está a fraquejar, e já não encontro a face da terra um motivo suficientemente bom para não o deixar parar de vez. Apesar de, existir gente que merece que eu não o deixe apagar, a vida trama-me de tal maneira que numa batalha entre quem merece e quem não merece, juntando quem merece mas está para não merecer, e quem penso que merece e pode não o merecer, a batalha está praticamente ganha pelos cavaleiros do mal. Mas, eu, que admitindo publicamente que sou fraco, ainda não me deixo derrotar, porque a esperança é como que a rainha de muita coisa. Enquanto eu tiver força, enquanto eu tiver uma gota de sangue, lutarei até não poder mais, nem que já não seja por mim, mas por aqueles que ainda conseguem demonstrar que gostam de mim assim…
Eles sabem quem são.
OBRIGADO


Bernardino 

Espaço...??

Ultimamente olho-me ao espelho e não me reconheço. Sinto que estou distante de mim mesmo, e após muitos dias para analisar o problema consegui chegar a uma conclusão, que é sem margem para duvidas a conclusao correcta, pois, ponderei imenso antes de concluir que estava correcto. Olho para mim e sinto-me uma pessoa fechada, que já nao é capaz de falar com os proprios botões, que não consegue fazer um programa solitário como a velha e boa maneira antiga. Talvez por antes fazer programas sozinho me sentisse a pessoa que me sentia. Sentia-me bem com o mundo, mas acima de tudo sentia-me bem comigo mesmo. Hoje olho para mim e vejo uma pessoa completamente fechada, sinto-me mal com o mundo, mas pior ainda é o facto de me sentir mal comigo mesmo. Preciso de ar. Peciso de solidão. Preciso de espaço para pensar. preciso de falar com os meus botões. Preciso de beber uns copos. Preciso de me re-aproximar daqueles de que ultimamente me tenho afastado. Preciso de tanta coisa, que juntando tudo o que preciso com aquilo tudo que agora tenho e que nao quero perder, tinha a felicidade bem proxima...

Faz-me falta espaço para mim mesmo, nao tirando prestigio aos que me rodeiam. Mas preciso mesmo de tempo de mim para mim. De mim para o meu interior. Como a velha máxima do “conhece-te a ti mesmo” pois, só tendo perfeito conhecimento de nós proprios podemos tentar perceber com clareza os outros.

Será que o mundo vai ter paciencia para mim quando eu tentar ter um pouco do espaço que tinha antes e que me faz falta agora? Será que o mundo vai perceber que preciso de tempo para falar comigo mesmo, que preciso de me voltar a fechar um pouco? Será?

Mais uma vez estou assombrado com uma nova questão que nasce em mim, e mais uma vez sem que eu estivesse a espera...

Mais uma vez a vida pos-me o pé a frente sem eu dar conta

Será que me vou equilibrar? Ou será desta vez que vou com a cara ao chão? Ou será que estou numa daquelas situações que mais parece que nos vamos mandar do 7º andar, de cabeça e com as maos atrás das costas?

Mais uma vez estou a deprimir com uma nova questão

Mais uma vez nao sei que fazer

Mais uma vez...

Mais uma vez...

Mais uma vez...


Bernardino

domingo, 21 de fevereiro de 2010


It's more than just words: it's just tears and rain.
I'm so cold from fear

Pensamento do dia:

que carreguem 50 quilos sobre os ombros daqueles que me condenam por atitudes menos boas quando eles possuem um curriculo de atitudes completamente indignas ao longo da vida, e que se perspectiva que não exista emenda possivel...



Bernardino

O maior erro do ser humano

Efectivamente, para mim, actualmente o maior erro do ser humano é ambicionar a perfeição, ambicionar ser perfeito e que o seu parceiro o seja. ambição de perfeição, perfeição essa que, efectivamente nao existe, ou, pelo menos não existe da forma como o humano a idealiza. o humano tenta ainda moldar os outros humanos que o rodeiam à sua imagem, e esse é, então o segundo maior erro do humano. Em suma, o humano é egoista e só pensa em si proprio, ambicionando a perfeição do parceiro, e tentando moldar todos aqueles que o rodeiam à sua imagem, intitulando-se automaticamente a sí próprio de "ser humano perfeito".

se os espelhos mostrassem para lá da imagem o mundo podia ficar a beira do abismo quando a maioria dos humanos descobrisse que realmente não é nada que se assemelhe a perfeito.

em suma, o humano é um ser dotado de defeitos, que se auto-intitula de perfeito e tenta moldar os outros à sua imagem. este é o quotidiano do mundo em que vivemos.

depois ainda dizem que vivemos num mundo cheio de qualidade de vida...


Bernardino

Mais uma vez... sou um fraco

era uma noite de chuva, que mais parecia uma noite de tempestade. algo em mim fazia o meu sangue ferver constantemente, e eu, com aquele sentimento de impotencia pelo facto de nao conseguir evitar o disparate mais estupido desde que a minha memória se recorda. saio a rua e começo a caminhar. é como se algo intrinseco me faltasse. é um sentimento de puro desespero, uma situação incontornável que não iria, com certeza ter um final feliz. com certeza mesmo. caminho mais de dez minutos perante aquela tempestade, até que encontro um abrigo. estava encharcado, e com o cerebro devastado, assolado, destruido, talado, com o cerebro completamente arruinado, mais uma vez, de cigarro aceso, sozinho na noite, como quem está perante a solidão me ponho a pensar. mais uma vez algo me incomoda e nao consigo fazer nada. mais uma vez algo de mal vai acontecer, eu consegui prever, mas com um sentimento de enorme impotencia me recordo de novo que conseguir prever não basta, o essencial era conseguir evitar. mas as coisas tomaram um rumo inalteravel, o acontecimento é inevitável.
mais uma vez algo me perturba
mais uma vez nao consigo parar algo que devia ser parado
mais uma vez me sinto impotente
mais uma vez...
mais uma vez...
e no meio de tanta solidão, com desespero à mistura, renasce uma nova questão. será que alguma vez vou conseguir ser forte o suficiente para evitar acontecimentos deste genero? ou será que deparando-me com eles vou enfraquecendo e fracassando cada vez mais?
com um enorme sentimento de impotencia, mais uma vez sinto-me completamente derrotado pelas forças malignas que me impedem de lutar por aquilo que realmente ambiciono. que me impedem de lutar por aquilo que realmente é o melhor para mim, e nao só para mim como para aqueles que me rodeiam. mais uma vez sou derrotado pelas forças malignas. sou derrotado pelas forças do mal.
mais uma vez...

será que algum dia vou ser forte o suficiente para conseguir vencer uma batalha? e vencendo uma batalha ganharei forças, e conseguirei ter resistencia para vencer a guerra??

será?



Bernardino

sábado, 20 de fevereiro de 2010

A maior covardia de um homem é despertar o amor de uma mulher sem ter intenção de ama-la!
Bob Marley


Subsescrevo!

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

4&1 quarto!

      



Após 'leitura' de 3&1 carro, queria ler este 4&1quarto!

O caos...

efectivamente, qual é o meu verdadeiro lugar no mundo? é um lugar de responsabilidades e de felicidade, ou um lugar de irresponsabilidades e tristezas?

declaradamente... a deprimir.


Bernardino

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010


Dói sem tocar, ...  

Desejo de um ontem! 



"A glória da amizade não é a mão estendida, nem o sorriso carinhoso, nem mesmo a delicia da companhia. É a inspiração espiritual que vem quando descobres que alguém acredita e confia em ti." 
Ralph Waldo Emerson


Eu acredito em ti, e tu?




quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

EX-paraiso Haiti...

Passado:
Pequeno país pertencente ao paraiso tropical de nome Caraibas. optimo destino de ferias, para os turistas um autentico paraiso.

Presente:
país ou coisa similar, como lhe queiram chamar, pois até o edificio do governo sofreu com a catastrofe. completamente impotente, na miséria, com milhoes de desalojados, crianças a morrer à fome, a população toda a contrair doenças devido à inexistencia de condições sanitarias minimas ao ser humano. a fome quase conseguiu colocar aquele local num estado de natureza complexo, num estado de guerra de todos contra todos a favor da sobrevivencia, o famoso "cada um por sí" em luta por uma pequena refeição, por mais pequena que fosse.
de momento com a ajuda mundial que tardou a chegar mas já está a ajudar, aquele local começa agora com mais calma a pensar na reconstrução.

Futuro:
Era já antes um país demasiado pobre, com esta catastrofe, e depois da reconstrução o Haiti nao passará de um pais reconstruido, que ainda assim será um dos paises mais pobres do mundo.

Concelho: por vezes é no paraiso tropical que está o nosso pior inferno. quando pensarem em fazer férias, vejam os mapas sismicos e coisas similares, tais como possibilidade de furacão, vulcões, etc. é que umas curtas e maravilhosas férias por vezes podem ser umas longas viagens de sofrimento a caminho do inferno.


Opinião acerca da "catastrofe":

Acontecimento:
um terrivel sismo, inprevisivel, e completamente destrutivo cai sobre um pais pobre de nome Haiti

Consequencias:
milhares de desalojados, grande numero de habitantes por encontrar, possivelmente ficou nos escombros, familias separadas devido a fugas para campos de refugiados, muitos deles nunca mais se irão ver na vida, nem se quer saber se os seus familiares estão vivos ou nao. a fome e as doenças caem sobre aquela população, e muitos que escaparam ao sismo acabam por morrer pelo sismo também, embora indirectamente. a fome provoca um profundo estado natureza, uma guerra de todos contra todos, a favor da sobrevivencia. o humano deixa de ser humano e quase adopta posturas e comportamentos de verdadeiros animais

Causa:
está provado que não sao os humanos que causam os sismos, apesar do humano ser uma autentica maquina destrutiva, o sismo não é da sua responsabilidade. o sismo é da responsabilidade da natureza.
*Dando valor à palavra dos filosofos antigos, que afirmavam que Deus é a natureza, e se o sismo é proveniente da natureza concluo que Deus é a causa do sismo.
*Dando valor à palavra dos filosofos medievais, que afirmavam que Deus é bondoso, todo poderoso, e omnipotente, então tiro a conclusao que, ligando o pensamento dos filosofos antigos ao dos filosofos medievais, Deus é bom e omnipotente, a natureza é boa, ehomnipotente.
*a minha questão começa aqui, e aqui acaba porque efectivamente nao tenho resposta para ela. então, se Deus é a natureza, e se Deus é bom e omnipotente, que bem, que bondade poderemos tirar de uma catastrofe como a que abateu sobre o Haiti?


onde está o bem do sismo do Haiti?

ubi? [termo latino que significa "onde?"]


mais uma vez uma questão complexa, e praticamente impossivel de responder abate sobre o meu ser, deixando-me mais uma vez perturbado, mais uma vez sem resposta, mais uma vez sem saber se aquilo em que verdadeiramente acredito exste, ou se aquilo em que verdadeiramente acredito é como realmente eu o edifico no meu pensamento.

mai uma vez o meu sono fugiu
mais uma vez tenho uma pergunta ao qual nao sei responder
mais uma vez sinto-me impotente
mais uma vez
mais uma vez
mais uma vez


mais uma vez....